Sexta, 17 Agosto 2018

Carga tributária deixa materiais escolares até 30% mais caros neste ano

Publicado em Educação Segunda, 18 Janeiro 2016 16:12
Avalie este item
(0 votos)

Com o início do ano, começam também as cobranças das contas do período como IPVA, IPTU, e os gastos com a compra de materiais escolares. Neste ano, segundo a Associação Brasileira dos Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares – ABFIAE- o aumento médio dos preços desse seguimento deve ser de pelo menos 10%, podendo chegar a 12% para produtos nacionais, e 20 a 30% para produtos importados como lancheiras e mochilas.

Nas papelarias de Juatuba e Mateus Leme a perspectiva é de que o consumidor opte por produtos mais em conta. A diferença de preços, no entanto, não chega a ser tão grande. Em uma papelaria de Mateus Leme o preço de um caderno de 96 folhas varia entre R$5,90 e R$12,50, alteração pequena em relação ao ano passado quando o mais barato custava R$5,30. Na mesma cidade, em outro estabelecimento, o caderno de menor custo é vendido por R$6,35. 

De acordo com a ABFIAE, o reajuste dos preços se deve à alta do dólar, já que a maioria dos produtos é importada, e também a abusiva carga tributária cobrada sobre os artigos escolares. Uma simples caneta chega a ter mais de 47% do seu preço em tributos, nos cadernos esse número é um pouco menor chegando a 34,99% do valor total. Os representantes da ABFIAE lutam na Câmara Federal para que a categoria tenha isenção de IPI e alíquota zero de PIS/ Pasep/Cofins, assim o preço será reduzido e não pesará tanto no bolso do consumidor. 

 

Lido 1462 vezes

Deixe um comentário

SUGESTÃO DE MATÉRIA

EDIÇÃO EM PDF ONLINE