Domingo, 23 Setembro 2018

Greve tem adesão de 90% dos funcionários do presídio de Juatuba

Publicado em Geral Segunda, 05 Março 2018 13:27
Avalie este item
(0 votos)

Servidores dos setores administrativos e técnicos do sistema penitenciário deflagraram uma greve nesta segunda-feira, 26. A mobilização é feita pelos gestores, psicólogos, médicos, pedagogos, advogados e enfermeiros, profissionais que cuidam da ressocialização dos detentos. Agentes penitenciários não participam da paralisação. 

Em contato com o Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado de Minas Gerais – SindPúblicos/MG, a reportagem confirmou a participação da unidade prisional de Juatuba no movimento, com adesão de 90% dos funcionários que fazem parte da categoria. A Assessoria de Comunicação da Secretaria de Administração Prisional de Minas Gerais – Seap/MG - disse que a greve é tratada como uma manifestação geral. De acordo com o órgão, o funcionamento das penitenciárias não está comprometido. 

“A paralisação dos servidores administrativos das unidades prisionais impacta somente nos atendimentos de rotina aos presos. A assistência aos casos de urgência e emergência é garantida, conforme determina a lei. A rotina de segurança permanece inalterada, a Seap continua atenta à situação e preparada para a pronta resposta, caso seja necessário. Por razões de segurança, a pasta não informa o número de funcionários e presídios que aderiram”, informou o departamento. 

Segundo o SindPúblicos, em Minas Gerais existem cerca de seis mil servidores efetivos nestes cargos.  

 

Reivindicações

 

Os grevistas cobram o cumprimento de um acordo, firmado com o governo em 2015, mas que nunca foi posto em prática. Segundo as informações do SindPúblicos, o objetivo é conseguir a equiparação salarial dos servidores do sistema prisional com os demais funcionários da área de segurança pública, como as polícias Civil e Militar. 

A Assessoria de Relações Sindicais da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão – Seplag - se reuniu com os representantes dos funcionários dos setores administrativos do sistema prisional na segunda-feira, 26. A Seplag informou que a ajuda de custo pleiteada pela categoria não será concedida, devido “à situação econômica e financeira em que o Estado se encontra”, o que impede a concessão do benefício no momento.

“O governo de Minas Gerais continuará avaliando as possibilidades para atender às solicitações o mais breve possível e propôs que as negociações sejam retomadas a partir do mês de abril, para quando existe uma perspectiva de melhoria financeira”, informou a Secretaria de Planejamento e Gestão.

 

Lido 323 vezes

Deixe um comentário

SUGESTÃO DE MATÉRIA

EDIÇÃO EM PDF ONLINE