Segunda, 16 Julho 2018

Requerimento pela “CPI da Copasa” está pronto para protocolo na Câmara

Publicado em Geral Segunda, 12 Março 2018 14:19
Avalie este item
(0 votos)

Os transtornos enfrentados pela população de Mateus Leme com o abastecimento de água na cidade têm sido constantes e motivam muitas reclamações. Em nova tentativa de solução para os problemas, a Associação dos Moradores de Azurita, uma das comunidades mais prejudicadas, devido à falta de abastecimento e à qualidade duvidosa do recurso que chega às torneiras, cobrou providências da Câmara Municipal. 

O ofício, endereçado ao vereador Cristiano de Oliveira, foi apresentado durante a reunião ordinária de segunda-feira, 05. E serviu como mais um embasamento para  abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI – com foco na averiguação dos serviços prestados pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais – Copasa – no município. 

A intenção de instaurar uma CPI nesse sentido vem sendo sinalizada por Cristiano desde o ano passado. A proposta ganhou força diante das reivindicações do distrito e agora, o pedido, praticamente pronto e entregue ao departamento jurídico da Casa para as adequações, em conformidade com a lei, já conta com o mínimo de assinaturas necessárias, três, para ser acatado no Legislativo. A previsão é de que o requerimento seja protocolado na próxima segunda-feira, 12, data da próxima sessão plenária. 

Além do aspecto turvo da água fornecida, por longos períodos, aos moradores de várias regiões da cidade e, principalmente de Azurita, que sofre também com a falta do recurso, às vezes por dias seguidos, outra possível irregularidade a ser verificada é referente à cobrança da taxa de esgoto, que em diversos pontos é apenas coletado, sem a cobertura de 100% do tratamento. Desde agosto de 2017, a tarifa é de 90% do valor do consumo mensal. 

Há denúncias de que a concessionária continua a despejar dejetos nos ribeirões. Também é alvo de questionamento a falta de manutenção da pavimentação das ruas, após obras realizadas pela estatal. 

Prefeito cobra regularização do abastecimento 

 

Na terça-feira, 06, o prefeito Júlio Fares e o procurador do Município, Dalton Moreira, se reuniram com representantes da Companhia de Saneamento de Minas Gerais – Copasa -, para assinatura de contrato e apresentação do cronograma das obras que estão previstas para os próximos meses em Mateus Leme. O acordo entre a Prefeitura e a concessionária estabelece que em cerca de 90 dias a estatal assuma o tratamento da água e abastecimento de Sítio Novo, onde a falta do recurso afeta a comunidade constantemente. 

A administração municipal vem cobrando, desde 2017, a regularização do fornecimento a todas as residências, sem exceção, a partir da perfuração de poços artesianos. Após a formalização do compromisso da empresa, nesta semana, a perspectiva é de que em breve acabe o racionamento no distrito. 

 

Lido 319 vezes

Deixe um comentário

SUGESTÃO DE MATÉRIA

EDIÇÃO EM PDF ONLINE