Domingo, 23 Setembro 2018

Nova diretoria do Sindserj é eleita com o desafio de restabelecer a confiança do funcionalismo na entidade

Publicado em Geral Segunda, 12 Março 2018 14:20
Avalie este item
(0 votos)

Foi escolhida no dia 1º de março, a nova diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juatuba – Sindserj. Disputaram o comando da organização duas chapas, uma encabeçada por Geraldo Ricardo de Lima e outra por Maristela Moreira da Silva. A vitória ficou com o grupo liderado por Geraldo. Esta semana, a reportagem entrou em contato com o presidente eleito, para verificar qual será a linha de atuação dos dirigentes e como eles pretendem retomar a confiança do funcionalismo na instituição, após alguns escândalos e acusações de fraudes em documentos, que, envolvendo a gestão anterior, foram até parar na Justiça.

O mandato da antiga diretoria terminou em 31 de dezembro de 2017. Seis meses antes, deveria ter sido convocada a eleição. No entanto, isso não foi feito e o ano acabou sem a definição das lideranças da entidade, responsável por defender os interesses dos funcionários da Prefeitura e Câmara. A situação foi levada à Justiça, com pedido de providências legais para solução da pendência. Em 19 de janeiro, o juiz Eudas Botelho determinou intervenção no Sindserj e o prazo para a realização do pleito. 

Geraldo Ricardo de Lima disse à reportagem que é filiado ao sindicato desde 1994 e nos últimos tempos acompanhou a instituição seguir para caminhos contrários às necessidades dos servidores, perdendo credibilidade junto aos membros. O presidente eleito foi categórico ao afirmar que a nova gestão do sindicato fará de tudo para recuperar a confiança dos filiados e lutar pelos direitos deles. 

“Agora o funcionalismo se expressou mesmo! Saiu debaixo da asa da Prefeitura, porque ninguém está satisfeito. Quem fez concurso público e entrou em 2006 perdeu vários direitos. Antigamente quem era do administrativo trabalhava seis horas por dia, depois a jornada passou para oito. Retomar a carga horária anterior foi um dos compromissos da nossa campanha e vamos correr atrás disso. Cada setor tem suas dificuldades, queremos atuar para atender a todos e trazer de volta a confiança no sindicado. Muitas pessoas se desfiliaram por causa dos problemas detectados, como atas falsa. Teve gente que entrou na Justiça contra a ex-presidente e outros membros, forjaram assembléias. Aí o Dr. Eudas interditou o Sindserj, nomeou dois advogados e tivemos a eleição”, comentou Geraldo. 

Entre as propostas iniciais apresentadas pela chapa vencedora está a redução da carga horária de 40 para 30 horas semanais, sem diminuição dos vencimentos, dos monitores e agentes de saúde; substituição do cargo de vigia em guarda patrimonial, com os respectivos reajustes salariais; analisar e rever a atuação das demais categorias; e cobrar a extensão do cartão alimentação a todos os servidores efetivados. 

“Nem 50% dos funcionários recebem o benefício, que é de R$ 240. Hoje, qualquer empresa pequena e média paga R$ 400. Esse cartão é um direito de todos os concursados, mas nem todos ganham. São falhas, que a Prefeitura deixou passar, e anteriormente o sindicato não lutou por essas pessoas. Também vamos defender as cantineiras, 42 delas entraram na Justiça cobrando insalubridade, porque nossa lei orgânica, o plano de carreira e salários, além do estatuto, já dizem que elas têm direito a receber o benefício, que seja, 5, 10 ou 20%. Claro que o Sindserj vai colocar advogado para buscar o reconhecimento desse direito”, garantiu o novo presidente. 

A instituição também espera conseguir uma redução no valor gasto com o plano de saúde. “Estão cobrando coparticipação de R$ 400/R$500 e até R$ 600 quando o serviço é usado. É bom, mas está vindo muito caro. Tem que ser adequado ao contracheque dos servidores, que não estão dando conta de pagar”, disse Geraldo, que também ressaltou que a partir de agora os filiados terão assistência jurídica, gratuitamente.

 

Condições de trabalho

 

O presidente eleito do Sindserj fez uma alerta sobre as escolas e creches municipais. De acordo com ele, os prédios não possuem a quantidade de equipamentos de combate a incêndio adequadas e nem foram vistoriados pelo Corpo de Bombeiros. “É uma questão gravíssima! O sindicato está contratando um técnico de segurança do trabalho, para fazer a perícia em todas as instalações da Prefeitura. Isso nem é assunto da entidade, a própria administração deveria se certificar sobre essas condições”, expôs. 

 

Reajuste salarial

 

Segundo Geraldo Ricardo, já era para o Município ter definido o reajuste salarial, porém, ainda não houve qualquer movimentação. “Eles estavam esperando para ver quem ganharia, porque a outra chapa representava a Prefeitura. A data-base do servidor foi agora em janeiro e ninguém atentou para o mês em que vai sair. Nem aumento será, na verdade é uma recomposição. Até agora não saiu e é claro que nós vamos querer retroativo. Eu como presidente do sindicato, não aceito pagar do mês de março para frente. Todos os prefeitos pagaram retroativo, a partir do momento que negociaram. Se precisar ter greve vai ter greve, se precisar ter diálogo vai ter dialogo!”, avisou.

 

Cerimônia de posse

 

A data da posse da nova diretoria do Sindserj ainda não foi oficializada. A chapa vencedora acredita que será na próxima semana. “O Dr. Eudas vai determinar que os dois advogados, que nomeou como interventores, conduzam o ato. Eu acredito que não demore”, comentou Geraldo. 

 

Lido 330 vezes

Deixe um comentário

SUGESTÃO DE MATÉRIA

EDIÇÃO EM PDF ONLINE