Quarta, 18 Julho 2018

CPI da Copasa em Mateus Leme cai no “esquecimento” depois de três meses

Publicado em Política Terça, 19 Junho 2018 13:13
Avalie este item
(0 votos)

Após um longo período de discussões, que ficaram mais acirradas em meados de 2017, devido às constantes queixas da população, a Câmara de Mateus Leme acatou, em março passado, pedido de abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI -, para averiguação de possíveis irregularidades praticadas pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais – Copasa -, na cidade. Três meses depois, não há qualquer sinal de andamento dos trabalhos e nem mesmo informações a respeito dos trâmites até o momento. A reportagem buscou esta semana dados a respeito do processo, mas os questionamentos não foram respondidos.

Em Divinópolis, a cobrança da tarifa de esgoto, um dos elementos que motivaram a instauração da CPI em Mateus Leme, foi pauta do Legislativo nos últimos dias. Os vereadores derrubaram a taxa, por meio da aprovação de decreto legislativo. A estatal apresentou argumentos e afirma que manterá o tributo. No entanto, a questão continua em debate e deve render ainda muita polêmica entre os parlamentares, o Executivo e a empresa.

Por aqui, a “CPI da Copasa” foi anunciada como medida para apuração de diversas denúncias. As queixas, que se arrastam há tempos, motivaram Cristiano de Oliveira a iniciar os procedimentos, com foco na busca de soluções para os problemas apontados, ainda em 2017. As reclamações da Associação de Moradores de Azurita, uma das comunidades mais prejudicadas, pela falta de abastecimento e qualidade duvidosa do líquido que chega às torneiras, impulsionaram a iniciativa.

Além do aspecto turvo da água fornecida, por longos períodos, à população de várias regiões da cidade e, especialmente de Azurita, que sofre também com a falta do recurso, às vezes por dias seguidos, outra possível irregularidade a ser verificada é referente à cobrança da taxa de esgoto, que em diversos pontos é apenas coletado, sem a cobertura de 100% do tratamento. Desde agosto do ano passado, a tarifa é de 90% do valor do consumo mensal. Há denúncias de que a concessionária continua a despejar dejetos nos ribeirões. Também é alvo de questionamento a falta de manutenção da pavimentação das ruas, após obras realizadas pela estatal. Cristiano de Oliveira foi nomeado presidente da CPI, que tem José Ronaldo como relator e José Edson dos Santos, o “Edinho do Som”, na composição.

Lido 131 vezes

Deixe um comentário

SUGESTÃO DE MATÉRIA

EDIÇÃO EM PDF ONLINE