Segunda, 25 Junho 2018

Campanha de Vacinação contra Gripe vai até 1º de junho em todas as regiões

Publicado em Saúde Domingo, 29 Abril 2018 19:43
Avalie este item
(0 votos)

Juatuba tem caso notificado de infecção respiratória grave causada por H1N1

 

Teve início na segunda-feira, 23, mais uma Campanha de Vacinação contra a Gripe. A mobilização segue até 1º de junho, em todas as unidades de saúde, que terão Dia D de imunização em 12 de maio. O público-alvo é composto por idosos acima dos 60 anos; crianças de até cinco incompletos; gestantes e puérperas, que são as mulheres com até 45 dias após o parto; e trabalhadores da área da saúde. Também têm direito à imunização, gratuitamente, os professores; portadores de comorbidades (enfermidades como diabetes, hipertensão, problemas respiratórios e obesidade), mediante apresentação de laudo médico; e os detentos.

 

A campanha em 2018 tem o tema “Pra enfrentar à gripe, vacine-se”, que remete à importância da prevenção. A dose trivalente, distribuída gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde – SUS - protege contra os três principais tipos do vírus que mais circulam no estado e no país: o Influenza A H1N1 e H3N2 e o Influenza B. Quem faz parte dos grupos prioritários deve ser imunizado todos os anos. A restrição é para quem tem alergia a ovo.

 

Registros

 

Juatuba já notificou em 2018 um caso de Síndrome Respiratória Aguda Grave – SRAG -, por H1N1. E, os casos de contaminação pelo vírus aumentam de forma significativa em Minas Gerais, conforme dados divulgados nesta terça-feira, 24, pela Secretaria de Estado de Saúde. A população mineira tem sido bastante atingida pelo H3N2, o mesmo que provocou a maior temporada de gripe nos Estados Unidos, em 2009. O boletim mostra, até o momento, 21 pessoas infectadas, sendo 12 foram por H3N2; quatro do H1N1, como em Juatuba; três do tipo A não subtipado e dois do tipo B.

 

A Influenza é uma doença respiratória que pode levar a morte. Ela é grave, principalmente entre crianças até cinco anos, gestantes, adultos acima de 60 anos, e portadores de doenças crônicas e que apresentam outras condições clínicas especiais. A contaminação pode causar sintomas que se confundem com outras infecções virais e bacterianas. A enfermidade se manifesta, normalmente, como uma Síndrome Gripal. O paciente pode ter febre, dor de cabeça e musculares, tosse, dor de garganta, e fadiga. Se for associado com dificuldade respiratória, o quadro passa para SRAG. Neste caso, a notificação é compulsória.

 

Imunização

 

Uma das maneiras de prevenção mais eficientes é a vacina, disponível, gratuitamente para quem integra o público-alvo da campanha, em todas as unidades do Sistema Único de Saúde – SUS. Estudos comprovam a importância da imunização, que é capaz de reduzir entre 32% a 45% o número de internações por pneumonias, além de diminuir de 39% a 75% a mortalidade global e em aproximadamente, 50% nas doenças relacionadas à influenza. As doses são constituídas por vírus inativados, fracionados e purificados. Dessa forma, não causam a enfermidade.

 

Medidas de higiene também contribuem. Ao tossir e espirrar deve-se usar a parte interna dos braços para tampar o rosto. Especialistas orientam as pessoas para a utilização de lenços descartáveis, além de evitarem locais com aglomeração. Outras recomendações são deixar o ar circular principalmente no inverno e em dias frios; não se automedicar; não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, copos e pratos; e, diante de qualquer sintoma, procurar um posto de saúde.

Lido 148 vezes

Deixe um comentário

SUGESTÃO DE MATÉRIA

EDIÇÃO EM PDF ONLINE