Sexta, 24 Novembro 2017

Juatuba e Mateus Leme, assim como várias outras cidades de pequeno porte em Minas Gerais, também fazem parte da rota das organizações criminosas responsáveis por ataques aos terminais de autoatendimento dos bancos. Os dois municípios registraram ocorrências do tipo neste ano. As autoridades de todo o estado estão no encalço dessas quadrilhas, que têm causado pânico em várias localidades e, a intensificação das investigações tem ajudado a desmantelar alguns desses grupos.

Um dos suspeitos das explosões de caixas eletrônicos em toda a região foi preso em Contagem, na semana passada. De acordo com o delegado Wesley Castro, responsável pela investigação, Guilherme Nostradamus Santana, de 26 anos, estava foragido desde o ano passado e pode estar envolvido em vários casos, ainda sob apuração. 

Em setembro de 2016, ele foi preso em Divinópolis com armas, drogas e aproximadamente R$ 9 mil em dinheiro. Após a soltura, o rapaz continuou a praticar crimes, o que ocasionou em um mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça. Nostradamus conseguiu fugir da Polícia e a partir de então, começaram as investigações para localizá-lo. 

O suspeito chegou a morar em Uberlândia e no estado do Paraná, antes de vir para a Região Metropolitana de Belo Horizonte, onde residia há cerca de um semestre. Ele foi monitorado pelos investigadores durante três meses. O jovem usava documentos falsos e vendia roupas, também falsificações de grifes famosas. Com ele, os policiais encontraram notas de dólar e euro. Nostradamus e a esposa vinham os produtos, junto de outras pessoas de Contagem. A suspeita é de que o dinheiro tenha sido obtido por meio de assaltos. 

 

A administração de Mateus Leme anunciou esta semana que está em fase de conclusão o projeto de drenagem das ruas Antônio Cassimiro, Thomaz Pierazolli, Walace Paulo, Rodolfo Narciso Vieira e Francisco Torres, no bairro Petrópolis. A previsão é de que as obras sejam entregues até a próxima semana.

Na segunda quinzena de outubro, a Prefeitura pretende iniciar o calçamento, com a perspectiva de beneficiar cerca de 500 pessoas. As reivindicações por essas melhorias eram antigas e foram viabilizadas com investimentos da ordem de R$ 366 mil. Os recursos, provenientes dos próprios cofres da Prefeitura e do governo federal, contemplam ainda a construção de meio-fio e sinalização.

 

Domingo, 1º de outubro, é comemorado o Dia do Idoso. A data remete à criação do estatuto que protege essa parcela da população e reforça a necessidade de ampliação dos serviços voltados a ela. Incentivar as pessoas a reavaliarem as atitudes em relação aos "velhinhos" também está entre os objetivos da mobilização feita anualmente, durante as celebrações, com foco, principalmente, em conscientizar sobre o sofrimento causado pelo descaso e abandono. 

A legislação estabelece como obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do poder público assegurar ao idoso a efetivação do direito à vida, saúde, alimentação, liberdade, dignidade, respeito e lazer, além do convívio social. No entanto, a realidade ainda é outra. No Lar São Mateus, em Mateus Leme, por exemplo, todos os idosos acolhidos foram levados por parentes, sem o próprio consentimento.

“A maioria deixa os entes aqui por falta de estrutura para cuidar deles. Infelizmente, grande parte não volta, ou seja, não existe o vínculo. Nós temos um idoso que está aqui há aproximadamente 25 anos. Apesar de os familiares nem sempre cumprirem seu papel, a comunidade está sempre realizando visitas. Atualmente recebemos uma média de cinco por dia, e isso é muito bom para os nossos internos”, comentou o coordenador da instituição, João Henrique Alves Silva. 

A casa de acolhimento de Mateus Leme atende 30 pessoas, sendo 19 mulheres e 11 homens. Fundada há 34 anos, a entidade abriga os idosos em situação de vulnerabilidade e oferece assistência física, mental e social, com o objetivo de preservar a saúde dos mesmos. 

 

Sobrevivência

 

A receita fixa mensal para manter o Lar São Mateus  em funcionamento provém, em 89,9%, da aposentadoria dos idosos. Outros 10,1% são recursos da Prefeitura. Contudo, o valor arrecadado não é suficiente para cobrir todos os gastos. Para conseguir arcar com todas as despesas, a instituição promove diversos eventos beneficentes e conta com doações da sociedade, o que tem possibilitado a continuidade das atividades até hoje.

Para quem deseja realizar uma visita ou fazer uma doação, a entidade funciona na rua Coronel Tomaz de Andrade, 335, Centro. Mais informações pelo telefone 3535-1033. 

 

O caminhão do Programa Estadual de Controle do Câncer de Mama, do governo de Minas Gerais, está em Juatuba desde o dia 19 de setembro.  A chegada da equipe à cidade, por meio da parceria da Prefeitura com o Estado, viabilizou um mutirão de mamografias. O público-alvo é composto por mulheres na faixa etária de 50 a 69 anos, que ainda não realizaram o exame este ano. A ação é voltada também às pacientes maiores de 35, com histórico pessoal ou familiar da doença. 

As interessadas em garantir o procedimento, que é gratuito, devem comparecer à unidade de saúde mais próxima de casa e solicitar o agendamento. No dia da realização do exame, é necessário apresentar documento de identificação com foto e o cartão do SUS. A iniciativa, que segue até a primeira semana do próximo mês, abre as celebrações do Outubro Rosa na cidade. 

 

Pelo segundo ano consecutivo, o grupo de ciclistas “#QueimandoOTorresmo” realizará um passeio com a proposta de arrecadar alimentos para doação às pessoas carentes de Mateus Leme. A primeira edição foi em 2016 e garantiu ajuda para  22 famílias do município. 

A iniciativa nasceu em meio à equipe, que se reúne com frequência para pedalar. Os destinos escolhidos costumam ter extensão de 30 a 100 quilômetros. Além da promoção da prática de exercícios, os desportistas têm se dedicado às ações sociais, como o  Pedal Beneficente.

O circuito está marcado para 12 de outubro, com início às 07h30. O ponto de encontro será na avenida Getúlio Vargas. Para participar é preciso fazer inscrição por meio da doação de um quilo de alimento não perecível. Os gêneros estão sendo recolhidos em supermercados da região.

Criado em setembro de 2015, o grupo contava na época com apenas cinco integrantes e tinha o nome de “Los Ticos Bikes”. Com o passar dos anos, foi ganhando mais adeptos de Juatuba e Mateus Leme. Hoje são 47 membros, de ambos os sexos, e diferentes idades, que compartilham o amor pela bicicleta e juntos melhoram a saúde e condicionamento físico.

 

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Mateus Leme recebeu, no último dia 20, a doação de R$ 24.244,36, por meio do Minas Cap  -  Certificado de Contribuição Premiável. A verba foi destinada pela Apae federal De acordo com a diretoria da instituição, os recursos serão utilizados para ampliação do atendimento clínico. Atualmente a entidade assiste 74 pessoas.

“Com esse dinheiro vamos conseguir contratar um psicólogo, importantíssimo para o desenvolvimento dos nossos alunos. A assistência psicológica incentiva a autonomia deles, ajuda no desenvolvimento da cidadania e na inclusão social. E isso gera resultados positivos também para as famílias e a sociedade em geral”, explicou a diretora administrativa, Flávia Francisca dos Santos. 

Ainda segundo a dirigente, o montante garantirá os vencimentos do profissional pelo período de um ano e a expectativa é de que a apresentação dos resultados facilite o aumento da arrecadação para que o projeto seja mantido. “O mais difícil era conseguir essa contratação inicial. Agora é trabalhar para dar continuidade ao serviço. Acredito que a partir do momento em que mostrarmos para a comunidade os reflexos será mais fácil levantar o valor necessário para mantermos um psicólogo aqui”, comentou. 

Os recursos são provenientes do Certificado de Contribuição Premiável. Parte da renda das vendas do título é revertida para unidades da Apae, localizadas em Belo Horizonte e na Região Metropolitana.  

 

As cidades que compõem a Região Metropolitana de Belo Horizonte, entre as quais, Juatuba e Mateus Leme, estão sob o risco de desabastecimento devido ao longo período de estiagem. A situação mais crítica e que vem desde o ano passado, é a do Sistema Serra Azul, que até o fechamento desta edição, operava com 21,9% da capacidade. Há um mês, o reservatório estava com 27,3%. Na quinta-feira, 28, foi registrada uma chuva rápida na RMBH, após 107 dias de seca. 

A Companhia de Saneamento de Minas Gerais – Copasa – já declarou que essa é a pior crise dos últimos 100 anos. Dados da empresa mostram que há 30 dias o nível do conjunto de represas que compõem o Sistema Paraopeba (Rio Manso, Serra Azul e Vargem das Flores) era de 54,9%. Nesta semana, o volume caiu para 48,3%. A estatal prometeu medidas contra as ligações clandestinas, que representam 40% dos recursos perdidos. 

 

Em reunião com o prefeito Júlio Fares e o chefe de Gabinete da Prefeitura, Marcus Júnior Diniz, em Brasília, o ministro da Educação, Mendonça Filho, se comprometeu, nesta semana, com a construção de uma escola de ensino fundamental para atendimento ao bairro Central, que tem aproximadamente quatro mil moradores. O Executivo levou a reivindicação à capital do país no início do ano.

O despacho favorável à instalação da unidade educacional foi assinado na terça-feira, 26 de setembro, durante o encontro, do qual participou também o deputado Domingos Sávio. De acordo com Júlio Fares, ainda não há como prever data para o início das obras, devido aos vários procedimentos que ainda precisam ser realizados. “Porém, o mais importante é que já conseguimos. Está aprovada pelo governo federal a nossa tão sonhada instituição”, comemorou.

 

A administração de Juatuba não recorrerá da decisão judicial que determinou a redução do preço da tarifa do transporte coletivo. A informação obtida pela reportagem junto ao governo, diante do despacho favorável da Justiça em relação à liminar solicitada pelo Ministério Público, é de que o valor será auditado e que o posicionamento do Executivo é de “absoluta obediência, tendo como propósito melhorias para toda a população”. E, para contratar a empresa responsável pela auditoria, o Município iniciará, em breve, um processo licitatório.

O poder Judiciário ordenou que o valor de R$ 3,25, instituído em janeiro, sob a aprovação da prefeita Valéria Aparecida dos Santos, passe para R$ 2,89. O prazo para cumprimento da sentença é de dez dias a partir da notificação, já entregue à Prefeitura, conforme apurado. A multa diária para caso de descumprimento está fixada em R$ 1 mil, até o limite de R$ 50 mil. Em agosto de 2015, a passagem tarifa custava R$ 2,60, passando para R$ 3,25 em 1º de janeiro de 2017, um aumento de 25% em menos de 17 meses. O valor de R$ 2,89 foi estabelecido pela Justiça com base na inflação do período, de 11,25%.

A sentença é resultado de Ação Civil Pública ajuizada pela Promotoria. Conforme publicou o JORNAL DE JUATUBA E MATEUS LEME, na edição de 29 de abril, o processo, foi embasado em análises para as quais foram requisitados, entre outros, os critérios adotados para autorização do aumento, a realização de estudos prévios pelo Município sobre os custos do serviço e melhorias significativas para justificar a majoração.

“O reajuste é injustificável, por qualquer ângulo que se analise, sendo que as informações prestadas pelo Município, no sentido de que teriam sido implantadas novas linhas, com aumento de frota, além de não serem confirmadas pelos dados lançados na planilha unilateral feita pela própria concessionária, são contestadas de forma ainda mais veemente pelos usuários”, apontou o promotor Almir Geraldo Guimarães.

A decisão da juíza Karina Veloso Gangana Tanure define ainda o transporte público municipal seja mantido nos mesmos parâmetros praticados atualmente. A empresa também deve apresentar a documentação necessária para apuração do custo efetivo do serviço.  

 

O promotor Almir Guimarães já instaurou procedimento preparatório para averiguar possíveis irregularidades praticadas pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais – Copasa – no aumento da taxa de esgoto cobrada da população de Mateus Leme. A tarifa sobre o valor referente ao consumo de água passou de 60% para 90%, índice que reflete nas contas emitidas desde agosto e causa de muita insatisfação da população. 

As reclamações, principalmente pelas dúvidas em relação à cobertura de 100% do município com o serviço de tratamento dos efluentes, levaram a Câmara a pedir providências ao Ministério Público. Em atendimento ao requerimento do vereador Arilton Gaudêncio Santiago, o “Pretinho”, a mesa diretora da Casa encaminhou ofício à Promotoria com solicitação para que a situação seja apurada. No início desta semana, o órgão enviou correspondência aos dirigentes do Legislativo comunicando a abertura do processo. 

O vereador requereu esclarecimentos sobre os critérios adotados para a majoração da taxa e ainda que seja verificado se o percentual é aplicado em todas as instalações em uso ou apenas nas regiões onde o esgoto é captado e tratado. O parlamentar pediu intervenção judicial, por meio do Ministério Público, caso seja constatada a cobrança indevida, nas localidades onde os dejetos não recebem tratamento. 

“Trata-se de um tema ainda altamente questionável, posto que a Copasa elevou os valores das faturas, baseando-se, na possibilidade de começar a prestar o serviço, sem, contudo, promovê-lo em 100% do território de Mateus Leme, o que de modo algum pode persistir”, alegou. O parlamentar salientou que por três vezes o Legislativo solicitou o comparecimento de um representante da estatal à Casa para explicações, sem obter qualquer retorno. 

 

Pedido de informações

 

O presidente da mesa diretora, Cristiano de Oliveira, apresentou ao plenário um pedido de informações endereçado à Companhia de Saneamento de Minas Gerais – Copasa. No ofício, ele pede esclarecimentos sobre a arrecadação da empresa com a tarifa de água e a taxa de esgoto ao longo de 2016, os custos do tratamento dos recursos hídricos, os investimentos no sistema de coleta dos efluentes e na estação de tratamento, além do cronograma para a captação no distrito de Azurita. O vereador solicitou ainda que seja enviado à Casa o mapa com a localização dos interceptores. 

 

CPI na Assembleia 

 

Na Assembleia Legislativa de Minas Gerais – ALMG – está em andamento processo para instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI –, que tem como alvo a Copasa. A proposta, do deputado Fabiano Tolentino, é justificada pelas inúmeras reclamações contra a estatal, nos diversos municípios em que a mesma detém a concessão. O parlamentar vem denunciando supostos crimes ambientais, atrasos em obras e outras possíveis irregularidades na prestação dos serviços. “Há meses venho abordando os desmandos da empresa, que engana a população com promessas que nunca são cumpridas no prazo devido. O que a Copasa tem feito é uma falta de respeito”, protestou Tolentino. Até o fechamento desta edição faltavam dez assinaturas para garantir a abertura da CPI. 

 

SUGESTÃO DE MATÉRIA

EDIÇÃO EM PDF ONLINE