Sexta, 24 Novembro 2017

Quando o assunto é Troféu Evidência, Leopoldo Siqueira é especialista. O carismático apresentador dos programas “Alterosa Esporte” e “Bola na Área”, exibidos pela TV Alterosa, se tornou o mestre de cerimônias oficial da premiação, ganhando o carinho e a admiração  dos homenageados e convidados. 

Este ano, a noite de entrega do prêmio, hoje, 21, no Grande Teatro da Universidade de Itaúna, terá uma novidade. Quem vai apresentar os agraciados e atrações, ao lado de Leopoldo, é a jornalista Danieli Du Carmo, que estará pela primeira vez no palco do Troféu Evidência. A comunicadora construiu uma trajetória de sucesso, a partir do trabalho desenvolvido ao longo de 11 anos, como repórter, e apresentadora do telejornal da TV Cidade, emissora itaunense, chegando ao posto de editora-geral, que deixou para assumir, recentemente, a convite do prefeito Neider Moreira, o cargo de chefe do Cerimonial da Prefeitura. 

Danieli Du Carmo cursou Jornalismo, fez pós-graduação em Mídias Digitais, Rádio e TV. Atualmente, cursa Administração e Marketing. Em 2017, se formou no curso de Cerimonial e Protocolo nas Instituições Públicas, pela Escola da Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

"Ao receber o convite para estar à frente da entrega do Troféu Evidência, ao lado de Leopoldo Siqueira, profissional que admiro, fiquei honrada e emocionada. Agradeço a direção do Jornal S'passo pelo convite e pela confiança em mim depositada. Tenho certeza, que como em todos os outros anos, será uma noite de merecidas homenagens e reconhecimento de quem faz e se destaca na sociedade de Itaúna, Juatuba e Mateus Leme", comentou a jornalista.  

 

 

Há anos, a população de municípios às margens da MG-050 e os usuários da rodovia sofrem prejuízos com os atrasos da concessionária para cumprimento do cronograma de obras previsto na Parceria Público-Privada celebrada entre a empresa e o governo de Minas Gerais em 2007. A situação já causou muitos transtornos, foi alvo de diversas manifestações e ainda assim, o grupo conseguiu, por diversas vezes, estender os prazos para a entrega das intervenções prometidas. 

Relatório emitido pela Controladoria-Geral do Estado – CGE -, que acabou “vazando” nos últimos dias, confirmou que a situação é ainda mais grave. A auditoria feita pelo órgão comprovou ganhos indevidos de R$ 113,7 milhões pela concessionária. O documento apontou que 92,57% das 162 obras que a empresa tinha obrigação de realizar não foram concluídas no tempo previsto. A constatação do órgão foi de que a postergação dos investimentos “engordou” os lucros, por meio do desvio do dinheiro que deveria ser destinado às melhorias para operações no mercado financeiro. 

Ficou confirmado que os detentores da concessão faziam empréstimos a juros baixos, supostamente para destinar os recursos à execução dos projetos. Mas, em vez disso, aplicava o dinheiro. Na prática, isso quer dizer que cada financiamento concedido à concessionária pelo poder público era uma forma de “dar dinheiro a ela”. As apurações mostraram também que os governos do PSDB alteravam o cronograma, com clara anuência à prática. Sem investir o montante que deveria aplicar nas benfeitorias e entregar a duplicação, dez anos após assinado o contrato, o grupo ainda ganha com as aplicações dos valores obtidos por meio dos pedágios.  De acordo com dados divulgados pelo Centro Integrado de Informações de Defesa Social – Cinds –, a MG-050 é a rodovia que mais mata em Minas Gerais e contabilizou 110 óbitos, entre 2013 e 2014. 

 

Em 2016, a prefeita Valéria Aparecida dos Santos assinou um Termo de Ajustamento de Conduta – TAC – junto ao Ministério Público, pela regularização da concessão do serviço de transporte individual de passageiros em Juatuba. De acordo com a legislação, a liberação das placas para o exercício da atividade pelos taxistas deve ser feita mediante concorrência pública e o descumprimento da norma culminou em providências da Promotoria. 

Com o acordo em vigor, a administração municipal começou o processo para regulamentar os profissionais da área. Na quarta-feira, 18, foi nomeada uma comissão, formada por três pessoas, para apurar a experiência dos motoristas de táxis interessados em conseguir o licenciamento para trabalhar no município. Esse é um dos principais critérios previstos no edital da licitação.

Ainda de acordo com os quesitos previstos no certame, serão criados também instrumentos para fiscalização e monitoramento dos serviços, com a averiguação dos preços, condições do veículo e atendimento aos clientes, condicionantes para manter a permissão. Em breve, mototaxistas também terão que passar pelos mesmos processos. 

 

O prefeito Júlio Fares, participou, nesta semana, do 31º Congresso e Feira Supermercadista e da Panificação, na Expominas, em Belo Horizonte. O encontro, organizado pela Associação Mineira de Supermercados – Amis - e o Sindicato e Associação Mineira da Indústria de Panificação – Amipão - é o maior evento empresarial anual do Estado, atraindo compradores e expositores de vários países. 

A mostra, considerada como uma vitrine para os empreendedores da área, também destaca as potencialidades de cada um deles. Para Mateus Leme, um atrativo, uma vez que o aumento da geração de empregos é uma preocupação constante da atual administração. "Tive a chance de conversar e conhecer empresários de vários segmentos da alimentação, como doces, massas e até de embalagens. E saio daqui com algumas reuniões engatilhadas”, comentou o chefe do Executivo. 

Fares ressaltou que a intenção é “abrir o leque” de trabalho e investimentos  no município. “Queremos promover mais renda e garantir oportunidades aos jovens e pais de família da cidade, que, devido à crise financeira que assolou o país, acabaram ficando desempregados”, afirmou. 

 

O grande número de ambulantes pelas ruas de Juatuba tem sido motivo de muitas reclamações dos comerciantes da cidade. A concorrência é considerada desleal, uma vez que os empresários, além de gerar emprego e renda para a população, são regularizados, portanto, recolhem tributos. Além de prejudicar a economia local, uma vez que a maioria dos vendedores que oferece produtos pelas vias públicas vem de outras localidades, a presença deles muitas vezes atrapalha o tráfego de pedestres e veículos. Bancas ficam montadas em calçadas, acostamentos e até mesmo nas portas das lojas, com abordagem dos consumidores e prejuízos para os proprietários. 

Para tentar regularizar a situação, a Prefeitura intensificou a fiscalização nos últimos dias e, começou, em parceria com a Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL -, os procedimentos para orientação dos itinerantes. O trabalho conta também com a equipe da Vigilância Sanitária, já que muitos comercializam alimentos, entre outros itens que podem causar problemas à saúde da população, se não tiverem boa procedência e estiverem acondicionados de maneira correta. 

Informações obtidas pela reportagem junto à administração municipal dão conta de que esses foram os primeiros passos para coibir as irregularidades. Os ambulantes estão recebendo também informações sobre a maneira de regulamentar a atividade, por meio da solicitação de alvará e melhores condições para a venda dos gêneros. Após esse período, mais voltado à conscientização, quem não se adequar terá a mercadoria apreendida. As normas também serão afixadas em placas na entrada da cidade e nos trechos que concentram a maior parte dos vendedores itinerantes, como no caso da avenida Tânus Saliba, na área central. 

Na manhã de domingo, 08, um estabelecimento comercial no Centro de Mateus Leme foi alvo da ação de criminosos. Acionada, a Polícia Militar, de posse das imagens do sistema de monitoramento da loja, iniciou os procedimentos para identificação e localização dos responsáveis. Após mais de 14 horas de rastreamento, na segunda-feira, 09, as equipes conseguiram encontrar os envolvidos, todos menores de idade.

Os rapazes foram autuados em flagrante, no entanto, liberados em seguida, conforme estabelecido no Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA. A PM conseguiu recuperar parte dos bens e, até o fechamento desta edição, a corporação seguia com as diligências em busca dos demais itens.  

 

Na noite de domingo, 08, uma carreta que transportava milho e seguia sentido Belo Horizonte tombou após derrubar a mureta de proteção e invadir a pista contrária, no Km 365 da BR-262. Vários acidentes já foram registrados nesse trecho, conhecido como “Curva da Galinha”, ponto bastante perigoso da estrada e que exige atenção redobrada dos motoristas. 

Apesar da frente da cabine bastante danificada, segundo informações da Polícia Rodoviária Federal, não houve feridos. A carga caiu e dezenas de moradores da região, incluindo crianças, foram para o local e saquearam. 

O milho deixou a pista escorregadia, o que dificultou o trânsito. Com isso, parte da rodovia ficou interditada por mais de 17 horas, causando congestionamentos de três a sete quilômetros. 

 

A concessionária responsável pelo Sistema MG-050/BR-265/BR-491 está realizando operação especial devido ao feriado pelo Dia de Nossa Senhora Aparecida, celebrado nesta quinta-feira, 12. A expectativa é de que cerca de 210 mil veículos circulem pelas rodovias. As ações foram reforçadas na quarta-feira, 11, e o trabalho segue assim até às 24h de domingo, 15.

De acordo com a concessionária, para garantir mais conforto e segurança aos usuários, foi ampliado o número de colaboradores nos guinchos, nas inspeções de tráfego, no Centro de Controle Operacional – CCO -, Atendimento ao Usuário – AU -, e praças de pedágio. A empresa divulgou o telefone 0800 282 0505, opção 2, para a assistência 24 horas. 

As obras que possam causar interferência no tráfego estão suspensas durante o recesso. Além disso, os motoristas podem conferir em tempo real, no http://www.abnascentesdasgerais.com.br, as condições de tráfego na MG-050.

 

A Black Friday (Sexta-Feira Negra) surgiu nos Estados Unidos e há alguns anos também virou febre no Brasil. Na data, as lojas oferecem grandes descontos, atraindo milhares de consumidores durante a promoção. Entretanto, o evento também acaba gerando inúmeras reclamações nos órgãos de defesa e sites de denúncias.  

No dia 24 de novembro será realizada a Black Friday Brasil 2017, que já está no radar do site “Reclame Aqui”. Durante as últimas edições, a página monitorou quais foram as empresas mais reclamadas, os principais motivos e produtos, além de alertar sobre golpes e fraudes.  

De 2014 a 2016, foram mais de 19 mil reclamações registradas, estando entre as principais a “maquiagem de preço”, quando as empresas dobram o valor do produto dias antes da promoção, para depois oferecê-lo pelo valor real, não havendo de fato o desconto prometido. 

O Programa de Proteção e Defesa do Consumidor - Procon -  atua na mediação de conflitos entre clientes e fornecedores de produtos e serviços. Por meio do órgão, vinculado ao Ministério Público, os direitos são cumpridos de acordo com a legislação vigente, suspendendo práticas abusivas cometidas pelas empresas e estabelecendo sanções, entre outras medidas disciplinares. Além de ter um canal especial de acesso às empresas, o Procon consegue resultados em um período menor do que outros órgãos judiciais. 

Apesar do Programa Estadual de Proteção ao Consumidor ter sido criado na década de 1980, ainda são poucas as cidades que contam com uma unidade. Dos 853 municípios mineiros, apenas 141 possuem Procon e Juatuba e Mateus Leme não estão entre eles. 

De acordo com a direção do órgão em Minas Gerais, nas localidades onde não há agência de atendimento, a população tem duas alternativas: procurar o setor de atermação, que é um dos meios de acesso à Justiça pelos Juizados Especiais, em que o cidadão propõe uma ação independentemente de estar assistida por um advogado; ou o Procon Assembleia, em Belo Horizonte, que é responsável pelo atendimento de todos os lugares do estado que não possuem uma unidade do órgão. 

Como o acesso ao órgão de defesa é mais difícil para os moradores de Juatuba e Mateus Leme, muitos têm recorrido a sites de reclamações, na tentativa de conseguir um acordo. Problemas com operadoras de telefonia, empresas de seguro e venda de veículos; com a Companhia de Saneamento de Minas Gerais - Copasa -; construtoras, até envolvendo as prefeituras estão sendo denunciados por pela população das duas cidades no site “Reclame Aqui”, principal canal independente de comunicação entre consumidores e empresas no Brasil.

 

Entulho em área residencial 

 

Um morador da rua Dom Cabral, bairro Satélite, em Juatuba, denunciou no canal “Reclame Aqui”, no último dia 29, a Prefeitura, que, segundo ele, usou um lote vizinho à casa em que mora como depósito de entulho. “Depositaram no terreno resíduos e terra de obra feita na via e não retiraram até o presente momento”, comentou, no site. 

Ainda segundo o homem, a administração deixou a área aberta e, desde então a mesmo tem sido usada por outras pessoas para a mesma finalidade. Ele ainda ressaltou os perigos para a população. “Isso gera transtornos para a minha família e demais moradores, sendo que o entulho está escorado no meu muro, o que torna mais fácil uma invasão. Também há o risco de animais peçonhentos e doenças causadas pelos mesmos”.

Também foi relatado pelo cidadão que a limpeza da rua não está sendo realizada pelo Município. “Fomos abandonados, até a pintura do meio fio que foi feita em quase todas as vias do meu bairro fizeram questão de não fazer na nossa.[...] Peço encarecidamente que seja tomada providência o mais rápido possível”, disse o denunciante, que ressaltou ainda que a Prefeitura deve sofrer as punições legais como qualquer outro infrator. 

SUGESTÃO DE MATÉRIA

EDIÇÃO EM PDF ONLINE